10 Dicas sobre a Iniciação de sua Empresa na Internet

Olá!

Muitos novos empreendedores tem um mar de informações pela frente sobre o que deve fazer, como fazer e o que priorizar (dados os recursos limitados de tempo e capital) para ter uma apresentação interessante de sua empresa na internet como um todo, incluindo as mídias digitais e redes sociais.

Nós, da Snapcomm, começamos com várias dúvidas, fomos testando cada ação e sentimos que temos evoluído em muitos aspectos, apesar de termos noção do longo e dinâmico caminho a se percorrer e melhorar neste quesito. Entretanto, acreditamos que já podemos compartilhar o que foi aprendido e ajudar novos empreendedores a tomarem conhecimento de alguns recursos que podem ajudá-los nessa construção de imagem e presença na internet.

O objetivo deste post não é apresentar tutoriais de como desenvolver cada dica e nem entrar no detalhe de cada assunto, pois cada um deles mereceria um post próprio, mas já servirá como reflexões que podem levar muitas empresas a um estágio mais avançado, desde que pesquisem, busquem contato com pessoas que conhecem de cada assunto e façam um esforço no sentido do autodidatismo! Vamos às dicas:

1) Domínio Próprio

Por domínio próprio, queremos dizer sobre o “@nomedasuaempresa.com.br”, por exemplo. Esse investimento não é alto e traz um ar de profissionalismo junto aos stakekolders muito maior do que um email com domínio genérico (Gmail, Yahoo, etc). Além do domínio próprio permitir que você tenha um site com o nome de sua empresa, as pessoas que trabalham com você também poderão ter um email @nomedasuaempresa.com.br, por exemplo, entregando muito mais credibilidade e senso de profissionalismo aos seus parceiros, fornecedores e, principalmente, clientes

Sites como https://registro.br/ e https://br.godaddy.com/ permite a pesquisa e compra desses domínios.

2) Assinatura de Email

Garanta que sua assinatura de email seja clara, indique seu nome, função e principais canais de contato de sua empresa. É preciso haver um equilíbrio para que não haja tanta informação a ponto de poluir sua assinatura, mas também garantir que seus pontos de contato se espalhem pela rede. Muitas empresas, como a Snapcomm, colocam a foto da pessoa na assinatura, acreditando que isso aproxima a pessoa que está interagindo com seu email para um contato mais humano e, portanto, facilite as relações, mas isso não é uma regra e há diversas formas de ser criativo e inovar ao criar a assinatura de sua empresa.

Uma recomendação importante é que todas as pessoas tenham um mesmo padrão de assinatura, mostrando consistência na identidade visual de sua marca.

3) Site

Embora muitas empresas tenham capital e uma boa razão para contratar um programador e programar seu site do zero, existem muitas plataformas que podem servir muito bem para iniciantes, que possuem temas bonitos, amigáveis e são altamente friendly para usuários que não são webdesigner profissionais. Mais do que isso, vale a pena pensar no seu site como a loja em que uma pessoa entraria e veria, de forma organizada, o que você faz, seja sua empresa de produto ou de serviço. É seu showroom virtual. Um bom ponto de partida é se colocar no lugar de seu cliente ao ir montando a estrutura e conteúdo do seu site e se perguntar: “Isso está claro para mim? Eu gostaria de ver isso se eu fosse meu cliente? Eu gostaria de ver as outras páginas desse site?”

Em algumas empresas da nossa rede, por exemplo, usamos as plataformas Squarespace para empresas de serviço e Shopify para empresas de venda de produtos, embora haja uma infinidade de outras plataformas para sequem pesquisadas e avaliadas à disposição.

4) Mídias Sociais/Digitais

Pinterest, Behance, Facebook, Instagram, Linkedin, Tweeter, You Tube, Spotify, etc. Todas as essas redes trazem valor ao público, mas cada negócio é um negócio, e cada uma delas pode servir melhor a um negócio do que a outro. O marketing é feito de muito PDCA (Plan, Do, Check, Act), ou seja, tentativas, medições e refações para ir atingindo níveis melhores de engajamento, audiência, quick wins e, finalmente, o objetivo maior de toda empresa, que é vender. No início, o ideal é alimentar frequentemente as mídias que forem escolhidas e não escolher todas de uma vez, se não houver braço para isso ou se os braços estiverem ocupados com outros pontos importantes da empresa. A partir disso, ir checando aquelas mídias que mais trazem resposta, priorizar elas em detrimento de outras e, possivelmente, até eliminar alguma que não tem convergência nenhuma com o público-alvo de sua empresa.

Dois pontos importantes sobre isso:

  • Nas mídias em que estiver presente, voltando para o item 3), é importante que estejam claras e apresentadas no seu site e vice-versa. A audiência conquistada deve ter facilidade em fluir de uma plataforma a outra, sem haver desperdício do tráfego.

  • Todos os campos de uma plataforma estão lá por um motivo (sumário, endereço, telefone, upload da logomarca, briefing, telefone de contato, email, cover image, etc). Para aquelas mídias em que decidir iniciar os testes, faça um preenchimento completo e cuidadoso desses campos, além de mantê-los atualizados. Normalmente, a plataforma te recompensará por isso.

5) Blog

Um blog dentro de seu site tem várias vantagens, que vão desde um Índice de Qualidade melhor atribuído pelo Google até relevância em termos de SEO, ajudando que seu site seja priorizado em mecanismos de busca orgânica para algumas palavras que forem cuidadosamente selecionadas na elaboração de seu conteúdo.

Além disso, um site com um blog interessante retém seus usuários por mais tempo, fazem com eles interajam mais com seu conteúdo e aumenta sua credibilidade sobre os assuntos falados se forem de interesse para seu público-alvo.

Blogs podem começar simples e ir evoluindo. Podem ser nada mais que um diário de trabalho e, com o tempo, ir tendo conteúdos próprios redigidos pela própria empresa. Além disso, conteúdos de terceiros podem ser compartilhados, mas nunca esqueçam de dar os créditos!!

Mais um bom motivo para se ter um Blog é criar sua própria plataforma de engajamento com seu público e mitigar seus riscos de ficar nas mãos das mudanças de algoritmo constantes das gigantes da tecnologia.

6) Vídeos

Se tiver oportunidade, deixe a timidez de lado e priorize vídeos nas divulgações que for fazer em suas mídias, exceto, obviamente, em mídias em que esse formato não seja suportado. Vídeos já são o presente e, pelo que tudo indica, o futuro do engajamento, como conhecemos hoje.

Para ler mais sobre isso, segue uma postagem interessante da Rock Content no seguinte link: Rock Content. Quer ver em números? Então confira também este post com 81 estatísticas relacionadas ao vídeo marketing.

7) Parcerias com outros sites/blogs

Trocas de conteúdos são (quase) sempre benéficas. Escolha bem seus parceiros, entre em contato com eles e façam postagens cruzadas. Não tenha medo de divulgar os links deles em suas postagens e peça que seu link seja divulgado nas postagens deles. Essa reciprocidade só “semeia” sua presença no meio digital, além de trazer benefícios aos algoritmos dos mecanismos de buscas também.

8) Cultura do “Feito melhor que perfeito”

Sobre todos os pontos acima, é importante dar o pontapé inicial, não tentar abraçar tudo de uma vez e trabalhar bem os pontos que você se propuser a colocar em prática. Apenas uma pergunta deve ser feita antes e avaliada com muita responsabilidade: “O que eu vou fazer, se não estiver perfeito, compromete a imagem da minha empresa perante os clientes e demais parceiros?”

9) Ferramentas de medição de sucesso das suas ações

Existem várias ferramentas para avaliar seu site, tráfego, audiência, qualidade do seu alcance orgânico, etc. Citaremos algumas delas e a pesquisa sobre implantação fica por conta de vocês, mas vale à pena dar uma primeira olhada:

10) Estude!

As dicas acima são a ponta do Iceberg de um mundo fascinante pelo qual você pode navegar para atingir resultados significativas através da Internet para seu negócio. Entretanto, muito auto-aprendizado precisa ser feito e, em muitos casos, isso não será suficiente e a contratação de ajuda profissional, desde que bem escolhida, certamente trará retornos para os investimentos realizados.

A internet está cheia de conteúdo grátis sobre todos os assuntos acima e vários outros, além de livros que podem ser adquiridos (fisicamente ou virtualmente) para aprofundamento.

Particularmente, aprendemos muito com a plataforma Lynda, do Linkedin. É um serviço pago, mas que vale a pena desde que o usuário disponha de tempo e disciplina para consumir a enorme quantidade de cursos de todos os tipos que a plataforma possui.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo e que sirva, ao menos, para colocar a sementinha da reflexão sobre os vários temas citados na cultura de sua empresa.

Obrigado pela Leitura e Bons negócios!!

Equipe Snapcomm


Gostou do conteúdo? Então comente e compartilhe! ;-)