Sobre o que aprendi iniciando uma empresa de fotografia sem nunca ter sido um fotógrafo:

Acredito que artigos e posts autorais em blogs são uma forma de cada pessoa expressar aquilo que pensa, aquilo que viveu, seu ponto de vista, e deixar a promoção institucional para as Company Pages e anúncios.

Acredito também que tudo o que vou escrever aqui serve como um guia ou um estímulo para quem não tem a "grande idéia", os recursos, os meios, ou o network necessário ainda para criar uma startup de sucesso, mas sabe que quer começar o próprio negócio, sem ainda saber tudo que vai enfrentrar (errar e acertar) pela frente.

Há uma visão compreensível de que toda a perfeição mostrada nas redes sociais fomenta a depressão, ansiedade e insatisfação de quem (ainda) não chegou "lá". Saber que cada um trilha seu caminho é uma clareza tão difícil de se internalizar quando o mantra: Preocupação não resolve nada. Preocupação não faz com que algo aconteça ou deixe de acontecer. Não se preocupe, se ocupe.

Quero mostrar o caminho que vivemos e reconhecer/recomendar alguns dos grandes atores que foram cruciais na nossa jornada.

SNAPCOMM: Um Estúdio Fotográfico

A Snapcomm começou com meus sócios, Caio Costa e Vivi Gondek, cheios de paixão, conhecimento e comprometimento pela fotografia, reunindo uma carteira de clientes e fotografando em suas casas.

Somado a isso, eu deixei uma corporação para sentir na pele o que era empreender, iniciar um negócio próprio e achei, em toda a minha ingenuidade, que o fato de eu ter aptidão com números e meus sócios terem aptidão com a fotografia, faria com que tivéssemos um caminho fácil e glamouroso pela frente.

Ouvi muito que o segmento de fotografia era muito competitivo, que deveríamos investir nosso tempo em pensar em alguma solução tecnológica e escalável, que todo celular já tirava foto melhor do que qualquer pessoa, e por aí em diante.

O faturamento não veio suficiente nos primeiros meses, a grana de Bootstrapping começou a acabar, o desespero bateu e estávamos pensando se fecharíamos a empresa em tão pouco tempo, mesmo com tanta paixão e vontade envolvidas.

No início de tudo, hoje nosso Head Comercial, o Rafha Araujo, acreditou na cultura e na idéia do que estávamos fazendo, e saiu batendo de porta em porta, subindo e descendo a José Paulino e ruas do Brás com um tablet na mão, e trazendo leads pra gente. Não vejo experiência melhor do que essa para sentir a realidade dos clientes no campo, mas logo nos demos conta que não seria o suficiente.

O jogo foi virando, mas não existe mágica!

Vou focar menos em contar todas as dificuldades que passamos, foram muitas mais do que citei acima, mas prefiro focar nas soluções que fomos encontrando, conforme a necessidade foi surgindo. Essa é uma grande oportunidade para agradecer todos os que participaram. Vou deixar de fora "apenas" os clientes, pois são muitos, de forma que ficaria cansativo citar aqui, e eu não citaria alguns em detrimento de outros. Todos foram da mais primordial importância nessa jornada.

Nossa primeira "salvação", em maio de 2016, foi encontrarmos uma agência séria de Marketing Digital, que nos mostrou que era possível focarmos em nosso atendimento e ter uma "chuva de leads". Isso nos fez sobreviver e nos deu sobrevida. Estão conosco até hoje. São a Despertador Digital.

Conforme nossas demandas aumentavam e nos perdíamos no meio de tantas trocas de emails e orçamentos, descobrimos um CRM que nos atendeu muito bem: o Pipedrive.

Com o tempo, pensamos que talvez nossos clientes quisessem um atendimento mais rápido, mais personalizado, mais real-time, e instalamos o Zopim, chat da Zen Desk. As conversões aumentaram muito após sua implantação.

Entretanto, tudo só ia funcionar com um site através do qual conseguiríamos representar nosso profissionalismo e competência, mesmo não tendo recursos financeiros e network suficiente para construir um site phoda programado do zero. A solução que encontramos e usamos até hoje é o SquareSpace.

Nossas trocas de arquivos são intensas. Nossos emails não podem falhar. Não encontramos melhores ferramentas para essas questões que as do We Transfer e G Suite.

Precisávamos redigir contratos, emitir NF, ter CNPJ, ter inscrição, emitir certificado digital e fornecer todas as nossas obrigações acessórias. Contamos com a vasta experiência da Profitway Escritório de Contabilidade.

Em meio a tantas planilhas de Excel e fórmulas para tentar enxergar o todo da organização financeira e mesmo assim sentir que nunca era o suficiente, conhecemos o Conta Azul, que transformou radicalmente a forma como lidamos com as finanças da empresa.

E não pára por aí!

Citei as empresas/profissionais acima, mas tivemos muitas mais contribuições nessa jornada, tanto por nos mostrar o que fazer, como também o que não fazer para alcançarmos nossos objetivos.

Aprender sempre e estudar incansavelmente é fundamental. Desenvolver skills que nos tiram da zona de conforto é desafiador, mas recompensador.

Estamos falando de cultura, equipe, liderança, processos, planejamento e controle financeiro, marketing, vendas, produção, infraestrutura, compliance, branding, etc. Não é pouca coisa!

Além disso, estamos submersos num mar de gurus de palco e isso requer muito cuidado nas escolhamos sobre o que vamos ou não consumir. O risco de nos afogarmos em informações inúteis e promessas de sucesso talvez sejam a principal dificuldade que as pessoas envolvidas em um small business enfrentam para não se perderem.

Inovação

Hoje posso dizer, com propriedade, que qualquer empresa pode e deve pensar em seus horizontes de inovação. Não existe mercado ultrapassado. Só existe mentalidade ultrapassada.

Todo a experiência adquirida ao administrar, sobreviver e crescer em um negócio tradicional traz um bagagem muito valiosa para que o empreendedor possa inovar em seu segmento ou em segmentos adjacentes. O ecossistema V.U.C.A em que vivemos requer isso e lidar com um negócio tradicional é uma excelente escola para alçar vôos maiores no sentido da diferenciação, inovação, escala e impacto.

Fronteira Atual

Deixo essa mensagem caso alguém esteja lendo e se sensibilize. Não somos do mundo dos developers e temos uma idéia de plataforma, aliada a conhecimento do mercado, que pode revolucionar o mercado da fotografia/produção de imagens. Como encontrarmos as pessoas certas deste meio para contratação ou proposição de sociedade? Este é um grande desafio, atualmente.

Mensagem para quem vai iniciar seu próprio negócio

Não há garantias de sucesso, mas também não há NENHUM negócio que está fadado ao fracasso por sua natureza em si.

Coloque a inteligência, recursos e força de vontade que tiver em mãos e vai. Não me entendam mal; sou o mais fervoroso incentivador e o mais reticente desanimador de uma jornada rumo ao empreendedorismo, simultaneamente. Consciência do que se pode encontrar e desejo em ir em frente, apesar de todos os obstáculos, é fundamental. É fundamental também ter maturidade e auto-conhecimento para decidir quando insistir e quando parar.

Mentoria

Talvez seja pretensão colocar o título acima, mas qualquer caminho é bem mais fácil quando alguém te mostra o que já testou e deu ou não deu certo ou proporciona insights provenientes de uma visão de fora do seu negócio.

Neste sentido, me coloco à total disposição para trocar idéias e conversar com qualquer pessoa que tenha interesse, tendo humildade ao admitir que sempre vou aprender mais do que ensinar em qualquer interação.

Para conhecer mais sobre o projeto que estamos desenvolvendo e que foi tema deste artigo, visitem a página da Snapcomm.

Obrigado pela leitura!

Autor: Rafael Cardoso (Linkedin)

1) Link para o post original no Linkedin.

2) Caso alguém queira mandar qualquer mensagem sobre o texto acima, precisar de ajuda ou quiser ajudar, estou à disposição no email mcardoso.rafael@gmail.com.